terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Boas Festas!


Obrigada a todos que acompanharam as postagens do blog!
Aos que creem, desejo-lhes um Feliz Natal! Aos que não, desejo-lhes um feliz dia!
A todos, desejo um 2018 de muita paz, saúde, amor, prosperidade e alegrias! 

Boas Festas!

Yara



domingo, 3 de dezembro de 2017

Tutorial Florisa


Em 2015 criei a Florisa e a dediquei a Isa Klein, origamista talentosíssima que me inspirou e me ajudou no mundo do Origami. Ensinei a flor em Brasília, quando fui convidada por Lus de Pessoa e o querido grupo brasiliense para comemorar seus dez anos de existência.



Isa gentilmente fez um VÍDEO ensinando o passo-a-passo.



A flor, então dobrada com cinco ou quatro pétalas, pode ser feita com três também (como na foto). Fica mais fechada e é ótima para compor buquês.

Espero que gostem!

Meus agradecimentos eternos à querida Isa.





segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Tutorial Flor de Manacá


Faz tempo, né? Hoje não é uma cartinha, mas um lembrete.É que agora estou no outro blog: yarayagi.blogspot.com . 

Aqui há modelos de outros autores (além dos meus) que dobrei ao longo dos últimos 7 anos, mais ou menos.
No outro blog estão só os meus modelos.Um deles é este: Manacá. E, como um pequeno presente, há tutorial. Espero que gostem!
Está aqui em Yara Yagi - Arte em Papel.







segunda-feira, 11 de abril de 2016

Caixa de luz


Eu sei que havia dito que não escreveria mais cartinhas, mas esta eu tenho que compartilhar. A querida amiga Carla Onishi mostrou uma caixa de luz feita com papel de seda e  uma caixa de papelão recortada. A ideia é genial! As fotos ficam bem mais bonitas com a luz difusa. Muitos origamistas já fazem uso desta ferramenta para tirar ótimas fotos de seus modelos.
Mas o inconveniente da caixa de papelão é que, além do trabalho que dá fazer uma, ela dura pouco tempo. Como as laterais devem ser recortadas, o pouco papelão que resta perde sua resistência e a caixa começa a amassar e a entortar. 
Pensando se existiria algo que pudesse substituir o papelão e que fosse mais prático de ser feito e com um resultado definitivo, encontrei o que tinha em casa: uma caixa organizadora! Sim, essas caixas de plástico para guardar a bagunça. :)
O ideal seria uma caixa fosca, pois o plástico fará as vezes do papel de seda, mas a transparente já faz um bom trabalho. Depois é só colocar um bonito papel como fundo e luminárias nas laterais. E seu estúdio está pronto!


Nesta foto corrigi o brilho e o contraste. 


Aqui sem correção, "ao natural".

Talvez a ideia com a caixa plástica não seja nova, mas acho que o que facilita a vida deve ser compartilhado.

O modelo é o Spread Hex Tessellation, de Eric Gjerde com um fantástico vídeo de Jo Nakashima.

Boas dobras e boas fotos! :)





sábado, 9 de janeiro de 2016

Transformações


   Estamos acostumados a ouvir que o mundo dá voltas. Tudo muda, tudo passa. Tudo se transforma. Ainda bem! E nada como um dia após o outro ou, neste caso, um ano após o outro! As mágoas do ano passado foram esquecidas e serviram de lição. Aprendemos com tudo e todos são nossos mestres. Acredito que a lição foi aprendida quando nos renovamos e essa renovação traz paz de espírito e alegria. 
Com essa sensação de leveza, compartilho com você um modelo simples (como deve ser a vida) e bem representativo dessa mudança: uma borboleta. Eu sei, é um símbolo meio manjado... :) Mas foi o que surgiu!

Não está aqui, pois a Cartinha fica como lembrança de outros dias. Agora nos encontramos no blog Yara Yagi - Arte em Papel

O tutorial da borboleta você encontra AQUI.

Obrigada por tudo, feliz 2016 e um grande abraço!

Yara
    
    

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

e termina com uma cartinha...


  Começou com uma vontade enorme, como na juventude, de escrever cartas. Trocar correspondência. Relembrar os tempos dos cartões postais, dos papéis de carta, dos envelopes riscados de vermelho e azul, verde e vermelho, dos selos, da ansiedade à espera do carteiro, dos "petit paquet"... Fazer amigos do outro lado do mundo. Cores, culturas e credos diversos. 
   Começou com uma cartinha. Como uma cartinha. E devagar foi se transformando em papel, não de carta, mas papel de dobrar. Dobrar origami. Uma arte que já conhecia de criança, mas não sabia. Quantos "marcha soldado" com chapéus feitos de jornal e quantos barquinhos perdidos na enxurrada! 
    Foram pouco mais de cinco anos de textos que viraram frases que viraram fotos. A ânsia de escrever deu lugar à de dobrar. Um "admirável mundo novo" se abriu para mim e descobri que a arte de dobrar papel não se limitava a chapéus e barcos. 
   Foi uma busca incansável por modelos, autores e papéis. Uma necessidade de dobrar algo todos os dias, de ter um pedaço de papel entre os dedos a todo momento. Um vício que, graças às redes sociais, foi compartilhado com outros viciados. Fui conhecendo os mestres, os iniciantes como eu, a turma dos modulares, as feras que dobravam feras. O pessoal do origami é gente boa.
    Dobrei. Dobrei muito. Freneticamente.
   Nestes cinco anos o origami me deu muitas alegrias e outras tantas decepções e tristezas, mas não passou por mim como uma ocupação qualquer. É inegável que mudou minha vida. 
    E chega um momento em que tudo muda... Quando a alegria e o entusiasmo dão lugar ao cansaço, à mágoa e à tristeza é porque a brincadeira perdeu a graça... Aí é tempo de parar e pensar. 
   É por isso que termino aqui a cartinha. 
   Termino agradecendo a todos que passaram por aqui e pararam um minutinho lendo, observando ou deixando um comentário. Agradeço aos autores por compartilhar seus diagramas e nos proporcionar o prazer de dobrar. Agradeço aos amigos pelas palavras de ânimo. Agradeço à família pela paciência, carinho e apoio.
   Foi muito bom!

   Um grande abraço,

   Yara